Roedores que viviam de restos de comida de restaurantes passaram a procurar alimentos em novos territórios, pois, Sem restos de comida de restaurantes, ratos têm mudado hábitos nos EUA Mihai Bojin/Flickr - CC by 2.0 Por causa das medidas de combate ao coronavírus, os ratos que vivem em centros urbanos passaram a procurar comida em novos locais e é preciso controlar as populações, disseram os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), agência dos Estados Unidos. Bicharada 'solta', céu limpo e ar puro: os retratos da natureza em tempos de coronavírus Sem turistas e barcos, coloração da água dos canais de Veneza fica mais clara e nítida Para evitar a propagação da Covid-19, os restaurantes foram fechados.

Os ratos que vivem de restos de cozinhas comerciais começaram a procurar alimentos em outros locais, especialmente em áreas de habitação densa, de acordo com o CDC. De onde vem o novo coronavírus e qual a relação dele com os animais? Eles também ficaram mais agressivos entre eles, de acordo com o órgão.

A tendência é que, sem comida, eles comecem a cometer canibalismo. Antes disso, no entanto, eles invadem novas áreas.

Na cidade de Nova Orleans, dúzias de ratos foram vistos em uma região de restaurantes. Em Chicago, ratos de uma espécie que não costuma circular por grandes territórios passaram a fazer isso. Há relatos nos EUA de pessoas que encontraram ratos nos motores de seus carros –são locais quentes e escuros. O CDC afirma que os programas de controle de pestes nos EUA devem ver um aumento de chamadas relacionadas a ratos, e também relatos de comportamento atípico. A agência recomenda eliminar as condições que atraem ratos.

Isso significa fechar o acesso a imóveis, retirar restos de vegetação, manter lixo bem fechado e tirar comida de bichos de estimação de espaços ao ar livre.

É comum que haja uma redução das populações de ratos depois de um acidente natural, como um furacão, de acordo com o CDC.

Quando a atividade comercial retorna, há um aumento. Initial plugin text