Noivos, padrinhos e rabino foram detidos, segundo promotor, que investiga se outros dois casamentos com 150 convidados também foram realizados, violando quarentena.

Comunidade judaica argentina é a maior da América Latina Membros de comunidade judaica usam máscaras ao caminharem em Buens Aires, na Argentina, em foto de 20 de maio Reuters/Agustin Marcarian Oito pessoas foram detidas enquanto se preparavam para celebrar um casamento judeu ortodoxo em Buenos Aires, informou nesta terça-feira (26) o promotor encarregado que investiga se houve outros dois casamentos com cerca de 150 convidados, violando a quarentena imposta devido ao coronavírus. "Oito pessoas foram presas em flagrante na segunda-feira em uma cerimônia religiosa.

O casal de noivos, os padrinhos e o rabino que realizava a cerimônia", afirmou o procurador-geral da cidade, Juan Bautista Mahiques, ao canal A24. O promotor acrescentou que "estão em investigação outra festa no dia anterior e outra na quarta-feira passada, no mesmo local". A comunidade judaica da Argentina é a maior da América Latina, com cerca de 300 mil membros, sendo a grande maioria secular ou religiosa não-ortodoxa. Initial plugin text